Roda Viva – Almino Affonso fala da ditadura militar
By João Marcos Rainho On 28 Mar, 2014 At 07:30 PM | Categorized As Comunicação Pública | With 0 Comments

Roda Viva – Almino Affonso fala da ditadura militar

Roda Viva_Almino Afonso_Foto Jair Magri (58)

o programa da TV Cultura, que vai ao ar na segunda-feira (31/3), às 22h, recebe Almino Affonso, ex-ministro de João Goulart. Com apresentação do jornalista Augusto Nunes, esta edição tem como foco debater a ditadura no Brasil.

 

O amazonense Almino Affonso teve seu nome na primeira lista de cassações, em 10 de abril de 1964, dias depois do golpe militar. Ficou exilado por 12 anos, vivendo na Iugoslávia, Uruguai, Chile, Peru e Argentina.

Foi deputado federal pelo Amazonas, em 1958, reeleito em 1962, e líder da bancada do antigo PTB na Câmara. Foi ministro do Trabalho e Previdência Social do presidente João Goulart, de janeiro a junho de1963. Quando os militares tomaram o poder, o parlamentar atuava na Câmara Federal.

Durante a entrevista, o ex-ministro esclarece a data exata do golpe. “Ainda perdura no Brasil a ideia de que o golpe teria sido a 31 de março. Não é real. 31 de março se esgota na marcha do general Mourão para tentar depor o presidente João Goulart, no Rio de Janeiro. Mas o presidente continua presidente. Vai a Brasília e realiza reunião na granja do Torto conosco,  todos deputados. Naquele instante, o general Ladário telefona para o presidente e propõe para que ele se deslocasse para Porto Alegre”.

Para Almino, o momento histórico do golpe se deu na madrugada do dia 2 de abril. “Enquanto o presidente está se deslocando para Porto Alegre, o senador  Moura Andrade convoca o Congresso para uma sessão extraordinária. Isso foi à 1 hora da manhã. Ele fala que o presidente estava se deslocando e diz que o governo estava abandonado, que havia uma acefalia política.  E ele declara: “ Está vago o cargo de presidente da república’. O Mazilli [Ranieri Mazzilli, presidente da Câmara dos Deputados] toma posse nessa mesma madrugada. O fato formal [da queda de João Goulart] se dá aí”.

Almino Affonso retornou ao Brasil em 1976 e filiou-se ao MDB em 1979, depois foi para o PMDB, partido com o qual foi eleito vice-governador de São Paulo, na gestão Orestes Quércia, exercendo o mandato no período de 1987 a 1990. Também foi deputado federal pelo PSDB, entre 1995 e 1999, conselheiro da República na gestão do Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, assessor do governador de São Paulo, na gestão de José Serra, secretário de Estado de São Paulo (Relações Institucionais). Atualmente está filiado ao PSB, Partido Socialista Brasileiro.

Almino Monteiro Álvares Affonso, natural da cidade de Humaitá (AM), formou-se na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP).  Disputou uma cadeira na Câmara Federal pelo Amazonas  e foi o único candidato eleito pelo Partido Social Trabalhista, naquele Estado.

Participam da bancada desta edição do Roda Viva Marco Antonio Villa, historiador e autor do livro Ditadura à Brasileira; Daniel Aarão Reis, professor de História na Universidade Federal Fluminense e ex-integrante da luta armada contra a ditadura militar; Eliane Cantanhêde, jornalista e colunista da Folha de S. Paulo; e Ricardo Kotscho, comentarista da Rede Record, repórter da revista Brasileiros e editor do blog Balaio do Kotscho.

Sobre

João Marcos Rainho, jornalista, 25 anos de experiência,especialista em comunicação pública tendo atuado em consultorias da FGV e Instituto Florestan Fernandes.

comment closed