Diploma. Como afeta o mercado free?

A queda da obrigatoriedade do diploma para o exercício do jornalismo não afeta em nada o mercado freelance. Quem atua por conta própria sabe que importa sempre a qualidade do texto e da apuração quando vendemos uma matéria. Ninguém pertunta para o freelance se ele tem ou não tem diploma. Muito menos onde se formou. Diploma e faculdade eram  pré-requisitos. Entretanto, a falta da regulamentação profissional é um desprestígio para a categoria. Um tapa na cara de quem estuda. O resultado disso será sentido para quem está na faculdade hoje. O mercado a médio e longo prazo será afetado pela prostituição profissional, onde qualquer idiota se auto-nomeará jornalista, metido a redator e editor. O mercado, outro idiota, absorverá esses pseudo-profissionais na lógica do lucro rápido. Adeus regulamentação do piso e da jornada de 5 horas (que ninguém cumpria). Boa parte dessa situação humilhante é culpa dos próprios estudantes e dos profissionais formados. Os estudantes (generalizando, lógico) por banalizar a universidade e valorizar unicamente o estágio, a experiência prática. É muito comum em sala de aula encontrarmos aquele tipo arrogante, contando vantagem de estar  “trabalhando” num grande veiculo ou sua “matéria” ter sido publicada num “veiculo importante”. E a partir dai para de frequentar aulas, a biblioteca, começa a fazer trabalhos acadêmicos nas coxas… afinal o que importa é pegar o diploma, pois já se considera um profissional. E o jornalista experiente, na versão arrogante, por não lembrar da importância da faculdade em sua experiência prática. Arrota o conceito discutível do self-made-man da escrita…. As faculdades de jornalismo (gereneralizando) também fazem parte da galeria dos culpados por querer acompanhar o “mercado”, copiar o que se faz lá fora (seja lá o que seja feito) em vez de estimular o senso crítico e ensinar a criar novos paradigmas. Em resumo, sem essa conversa do diploma como diferencial. Estudar jornalismo, hoje, é fazer papel de bobo amanhã.

3 comentários em “Diploma. Como afeta o mercado free?

  • julho 15, 2009 em 4:46 pm
    Permalink

    João Marcos,

    Eu entendi errado ou você é a favor da desregulamentação do diploma?

    Resposta
    • julho 16, 2009 em 11:40 pm
      Permalink

      Errado. Sou totalmente a favor do diploma. Essa decisão do STJ é um desprestígio para nós, conforme falei. Ontem encontrei um rapaz, semi-analfabeto, com um carro velho escrito “Reportagem”. Conversando com ele, que possui um blog de cobertura de festas, disse que agora “também” é jornalista. Para o recém formado, essas situações humilhantes pegam mais pesado.

      Resposta
      • julho 16, 2009 em 11:50 pm
        Permalink

        Estudar jornalismo perde prestígio profissional. É louvavel estudantes e professores defenderem o “diferencial” do diploma, mas diploma sem profissáo regulamentada perde muito o efeito prático num mercado onde o patronato da comunicação sempre pressionou o fim do diploma (apesar do discurso a favor agora, para inglês ver). Diferente de algumas categorias, como nossos colegas publicitários, que não possui regulamentação… nós jornalistas tivemos e perdemos.. é bem diferente. Muitas faculdades de jornalismo já estavam passando uma crise por falta de alunos. Imagine agora…

        Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *