A generalização de um erro fácil de ser corrigido

Claudia Atas -http://www.clarezaecoerencia.com.br

Legenda da foto de capa: Criança do RS com arco e flecha que ela mesmo fez.

A lingua portuguesa é exigente. Concordo que leva qualquer um a pisar na gramática e escorregar feio. Mas há erros que me espantam, como falar e escrever ela mesmo fez, elas mesmos fizeram. A norma, neste caso, é tão simples!

Basta substituir mesmo por próprio – o sentido de que estou tratando aqui – para perceber que, em ambos os casos existe concordância com o sujeito, em gênero e número:  “ela própria fez, elas próprias fizeram, ela mesma fez, elas mesmas fizeram.

O erro com esse emprego de “mesmo” vem se multiplicando tanto que até a Folha de S.Paulo publicou um “ela mesmo” – última chamada sobre a foto:  ”Criança no RS com arco e flecha que ela mesmo fez.”

A criança, aqui, pode ser um menino. Mas o sujeito é feminino (ela, a criança). Portanto, deve-se escrever “ela mesma”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *